O Blog do Madridista se mudou para:

www.blog.renatobotelho.com


Aguardo a sua visita!

© 2009-2011 Blog do Madridista

Análise do elenco do Real Madrid em 2010.

O Real Madrid inicia 2011 com a expectativa de conquistar os três títulos que disputa (Liga, Copa e Champions). Mas vamos recordar o ano de 2010 com uma breve análise e notas para o elenco madridista.

Os destaques do ano.

Casillas: Salvou a Espanha na Copa do Mundo e foi eleito o melhor goleiro da competição. No time de Mourinho, passou muitas partidas sem precisar trabalhar, mas quando as equipes adversárias atacavam, lá estava San Iker, bem posicionado, fazendo belas defesas. O episódio no Camp Nou foi um acidente de percurso, não teve culpa. Nota: 9,5.

Dudek: Só jogou meio tempo. E neste meio tempo, fez duas boas defesas e se machucou. É pouco tempo para analisar. Nota: 5,5.

Adán: Substituiu Dudek quando o mesmo se machucou. Jogou meio tempo e fez o que se espera de um substituto. Por ser ‘canterano’, caiu nas graças da torcida. É sempre bom ver jogadores das bases jogando no Real Madrid. Nota: 6,5.

Sergio Ramos: Fez uma grande Copa do Mundo. Com Mourinho, esperava-se muito, pois iniciou a temporada como o segundo capitão do Real Madrid (mais responsabilidade). Porém, o seu rendimento caiu com o passar dos jogos e Arbeloa foi conquistando o seu espaço. Tem ao seu favor o fato que é bom tanto na lateral quanto na defesa (‘Mou’ o prefere como zagueiro, mas Ramos joga de lateral para ser titular com a seleção). Ainda pode crescer como capitão. É um jogador diferenciado. Nota: 7,2.

Ricardo Carvalho: Contratação mais do que acertada. Achavam que estava velho, mas quando chegou a Madrid mostrou que estava em forma e provou dentro de campo ser um grande zagueiro. A melhor contratação defensiva do Real Madrid desde muitos anos. Só não levará uma nota maior devido ao grande número de cartões que recebeu. Nota: 8,4.

Pepe: Instável. Tem tudo para ser o maior na sua posição, mas peca pelo temperamento. Em algumas partidas, saiu de si; em outras, brilhou. Difícil entendê-lo nessas horas, mas fora de campo se mostra ser uma pessoa da paz. Nota: 7,0.

Garay: Não pôde mostrar o seu valor com Mourinho devido a sua lesão. Com Pellegrini, porém, mostrou ser um ótimo zagueiro. Conquistou o seu espaço com uma postura digna dentro e fora de campo. Merece fazer parte do elenco madridista. Nota: 7,0.

Albiol: Com Pellegrini, era titular, mas se machucou e perdeu a titularidade com Mourinho. No entanto, está sempre a disposição para ajudar a equipe. Jogador de confiança. Nota: 7,4.

Arbeloa: Joga em mais de uma posição. Com as ausências de Ramos, entrou e mostrou tranqüilidade. Mourinho o elogiou e disse que havia conquistado a titularidade no fim do ano. Mas apesar de bom defensivamente, não é tão eficaz no ataque como Ramos. Nota: 7,1.

Marcelo: Que evolução! Sim, com exclamação. Quem o viu em outros anos sabe que hoje é outro jogador em campo. De grande importância para o jogo ofensivo, mesmo com craques no meio de campo. Tem ótima ligação com Cristiano Ronaldo e foi importante em muitos jogos. Sabe iniciar contra-ataques pela esquerda com velocidade. Só não é perfeito devido a erros defensivos, mas esta é uma parte que também evoluiu comparado há outros anos. Nota: 8,2.

Khedira: Um trabalhador. Faz o seu trabalho de forma humilde, com qualidade. Todos os times precisam de um jogador assim. Nota: 7,0.

Xabi Alonso: Uma peça chave na equipe. Sem ele, o Real Madrid perde em construção, em fluidez, em criatividade, etc. É titular absoluto no esquema de Mourinho. Nota: 9,0.

Lass: Com tantos craques no time, vê-lo com a camisa ‘10’ soa estranho. É um jogador que poderia ser titular em qualquer time do mundo, mas se destoa no Real Madrid. Por este motivo, não ficará muito tempo na equipe. Nota: 6,0.

M. Diarra: Está fazendo hora extra em Madrid. Entra em campo só quando o Real Madrid está ganhando e Mourinho quer segurar o resultado. É melhor dar oportunidade aos ‘canteranos’. Nota: 5,0.

Granero: A alternativa de Mourinho. Tem poucas chances, mas quando tem, as aproveita. Foi titular várias vezes com Pellegrini. No time de Mourinho, apesar de ter menos minutos, mostrou mais do que antes. Luta para ser titular, mesmo que como volante. Nota: 7,5.

Pedro León: Joga pelas pontas. É um jogador que está sempre pronto para entrar. Quando entra, substitui algum craque do meio de campo. E o faz de forma elegante. Merece jogar no Real Madrid. Nota: 7,3.

Di María: A melhor contratação do Real Madrid na temporada. A sua vontade, disposição e garra dentro de campo são coisas para se admirar. Não se comporta como uma ‘estrela’, corre por fora, mas corre com o coração. Tem tudo para ser um jogador histórico do Real Madrid. Nota: 9,5.

Özil: Craque. Mostrou o seu valor na Copa do Mundo e chegou ao Real Madrid como uma revelação. Dentro de campo, mostrou que tem algo a mais. Com toques de genialidade, encantou o Bernabéu e concedeu várias assistências aos seus companheiros. Talento puro. Só precisa de mais regularidade para se tornar um ‘Zidane alemão’. Nota: 8,8.

Cristiano Ronaldo: Batedor de recordes. Terminou o ano de 2010 com 46 gols em 48 partidas (algo inédito em sua carreira). Jogou todas as partidas na era ‘Mou’. Incansável. Precisa marcar gols para ser feliz. Este ano foi feliz. Ao seu lado, há Mourinho, que o entende. Para Cristiano, o céu é o limite. Nota: 9,5.

Higuaín: Um guerreiro que mostrou o seu valor ao longo dos anos mesmo sem o devido reconhecimento no início. É o grande atacante do Real Madrid. Infelizmente, se machucou e ficou de fora de vários jogos (desde o do Campo Nou). No entanto, tem créditos. Muitos créditos. Este sim é um jogador que pode errar e errar que nós iremos falar: “Valeu, Pipa!”. Nota: 9,0.

Benzema: Hora está com sono, hora arrebenta com um ‘hat-trick’. Não dá para saber o que esperar do francês para o próximo jogo. Escalá-lo é um tiro no escuro. Mas é o reserva imediato de Higuaín. Nota: 6,5.

Canales: Chegou como o futuro do Real Madrid. Infelizmente, se lesionou mais de uma vez, o que o impediu de mostrar o futebol que encantou a todos no Racing Santander. Grande revelação do futebol espanhol. Os madridistas o aguardam para dá-lo um 9,5 em 2011. Nota: 5,0.

Morata: Entrou duas vezes. Jogou 4 minutos em uma e 15 minutos em outra. Deixou boa impressão e quase marcou nas duas oportunidades. É das bases, mas já pode ser o terceiro atacante do Real Madrid. É preciso mais minutos. Nota: 7,0.

Sarabia: Jogou poucos minutos, mas mostrou a sua habilidade. Outro ‘canterano’ com muito talento. É preciso mais minutos também. Nota: 7,0.

Kaká: A maior decepção do Real Madrid na temporada passada. Com Mourinho, não jogou nenhuma vez. Porém, fez pré-temporada de luxo com a equipe merengue para jogar a Copa do Mundo, onde também decepcionou. Há expectativa que volte a jogar desde a primeira semana de janeiro (2011) e mais expectativa ainda para que seja o ‘Kaká versão Bola de Ouro’ novamente. Mas 2010 foi um ano para se esquecer. Sem nota.

Mourinho: Personagem principal antes, durante e após os jogos. Como pessoa, é admirável. Como profissional, tem o ego do tamanho do mundo. Tem muitos desafetos pelo seu estilo de ser, mas é um vencedor. Conquistou o ‘triplete’ com a Inter e quer o mesmo com o Real Madrid. Nota: 9,5.

Obs: Gago, Juanfran e Mateos não jogaram ou tiveram poucos minutos em campo, por isso não estão na lista.

Dê a sua opinião e as suas próprias notas para o elenco, caro leitor.

Mensagens de Boas Festas para os madridistas.

Os ‘canteranos’ do Real Madrid se juntaram para desejar boas festas a toda torcida madridista; confira o encontro dos jovens craques das bases:


Mensagens dos jovens madridistas (vale a pena ver).

Do time principal, houve uma reunião entre o presidente Florentino Pérez, o técnico José Mourinho e os capitães Iker Casillas e Sergio Ramos. Além disto, os jogadores do time blanco se dividiram em duplas para desejar ‘feliz navidad’ ao madridismo; confira todas as mensagens no vídeo abaixo:


Mensagens de madridistas para madridistas (vale a pena ver).

Solidariedade: Durante a semana, madridistas do futebol e do basquete visitaram hospitais e entregaram presentes para as crianças; relembre aqui.

Aproveito a postagem para desejar a todos os leitores do blog um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo. Nos vemos em 2011. Hala Madrid!

Kaká no esquema do Mourinho.

Kaká voltou a treinar junto com o time e tem sua volta prevista para metade de janeiro do ano seguinte. Isso nos faz pensar como seria o esquema tático da equipe caso ele jogue como titular.

Kaká voltou a treinar no último fim de semana.

É claro que para ser titular, o Kaká precisa demonstrar o que se espera dele, principalmente porque os jogadores da linha de 3 no esquema 4-2-3-1, onde teoricamente ele se encaixaria, estão muito bem.

Cristiano não sairá da equipe por motivos óbvios, e tanto Özil como Di María estão muito bem (esqueçam o clássico no Camp Nou).

Mas se o Kaká voltar bem, vejo três jogadores que possam sair do time: Özil, Di María ou, o menos provável, Higuaín.

A saída do Özil não mudaria o esquema e não mexeria tanto na maneira da equipe jogar. Se sair o Di María o time perde um jogador que sem a bola marca muito, e vai muito bem ao ataque, mas há quem defenda que Özil e Kaká são compatíveis, é preciso testar. Já a saída do Higuaín (está machucado, mas é o titular) pode fazer o Cristiano atuar de centroavante, porém acho muito difícil, porque o Mourinho já disse que usar o CR nessa posição é deixar de aproveitar parte do seu talento.

Por último, e não mais improvável, existe a possibilidade de trocar o esquema tático da equipe, é importante lembrar que o esquema 4-3-3 agrada bastante ao ‘Mou’. Na pré-temporada ele testou essa formação.

Bom, é esperar e torcer pra que o Kaká faça valer o que foi pago nele e ajude o Real Madrid no ano de 2011.

Coluna escrita por: Lucas Ribeiro | Seja um colunista você também | Leia mais colunas no blog

Real Madrid 8-0 Levante.

Em partida válida pelas oitavas de final da Copa del Rey (jogo de ida), o Real Madrid recebeu o Levante no Santiago Bernabéu para o último jogo de 2010. Sem Ramos (poupado) e Arbeloa (suspenso), Lass ficou na lateral direita, enquanto Pepe e Albiol formaram a dupla de zaga. A novidade foi o retorno de Marcelo na esquerda em relação à última partida.

O Real Madrid se despede de 2010 com goleada.

Mourinho escalou o time inicial assim: Casillas; Lass, Albiol, Pepe, Marcelo; Xabi Alonso, Granero; Özil, Di María, Cristiano Ronaldo e Benzema.

Com o incansável Cristiano Ronaldo em campo (o único que jogou todas as partidas na era ‘Mou’) e Granero de titular, o Real Madrid começou bem e quase abriu o placar no primeiro minuto com uma triangulação entre Di María, Cristiano e Benzema, que o francês chutou para fora. Aos 6min, porém, o atacante se redimiu com uma bela jogada individual pela direita e abriu o placar da partida. Um golaço, com pedalada e tudo.

Após o gol, foi só festa. Aos 9min, Cristiano fez boa jogada pela esquerda e serviu Özil dentro da área. O craque alemão tirou os zagueiros com categoria e bateu com tranqüilidade para o fundo das redes. Outro bonito gol. E uma imagem boa do português, que mostrou que não é fominha e pensa sim na equipe.

Com o controle da partida, o time de Mourinho tocou bem a bola, comandou o meio de campo e explorou jogadas em velocidade com os meias da equipe. O levante, por sua vez, assustou poucas vezes, mas cresceu na partida a partir da metade do primeiro tempo. Porém, o Real Madrid não deixou o adversário ir além disto. Aos 32min, Benzema aproveitou bobeada da zaga, tirou do goleiro e marcou o terceiro dos blancos.

Se já não bastasse o resultado, Benzema apareceu de novo, mas desta vez para dar uma assistência para Cristiano aos 45min: O português só precisou empurrar para o gol (4-0).

No segundo tempo, a torcida cantou e aproveitou os últimos 45min do time no ano. A festa só não foi completa por que o árbitro tirou os madridistas do sério com algumas de suas decisões em campo. Apesar de outra péssima arbitragem (assim como no jogo anterior), o Real Madrid atacou e quis ampliar o resultado por todo o jogo.

Benzema foi o iluminado da noite: Aos 69min, recebeu belo passe de Di María e marcou o quinto dos merengues. 'Hat-trick' para o francês, que mostra no último jogo do ano que quando tem confiança se torna o ‘9’ do Real Madrid; os madridistas torcem para que esta confiança se mantenha em 2011 contra as equipes mais fortes.

Di María, numa brilhante noite, deu outra assistência aos 72min. Desta vez, o ‘anjo de Mourinho’ serviu Cristiano, que marcou o seu segundo gol na partida. Mas não precisou nem de um minuto para que o português também marcasse o terceiro para sair de campo com um ‘Hat-trick’.

Com 7 a 0, ‘Mou’ tirou Özil (muito aplaudido) e Granero e colocou Diarra e León em campo. Aos 77min, foi a vez de Morata entrar no lugar de Benzema (também muito aplaudido). O jovem das bases pôde jogar 15min (da última vez foi 4; relembre aqui) e, novamente, quase marcou. Aos 89min, Morata chutou e o goleiro deu rebote: León pegou e fechou o jogo com 8 a 0.

Vídeos com os gols:

Vídeo com os melhores momentos e gols da partida (qualidade alta).

O Real Madrid encerra o ano de 2010 com goleada na Copa del Rey, em segundo lugar na La Liga e classificado para as oitavas na Champions. Após a semana entre o Natal e o Ano Novo, os madridistas voltarão e iniciarão 2011 jogando contra o Getafe, pela La Liga, no dia 3 de janeiro. Mourinho dará continuidade a um Real Madrid que já terá Kaká.

“Deram-me a bola assinada por todos com o dizer: ‘Tranqüilo, vai marcar gols’; 
cada oportunidade vou tentar aproveitar pensando como se fosse a última”.
(Álvaro Morata, ‘canterano’ do Real Madrid, após o jogo).

Jogada de ouro de Raúl na Alemanha.

Mais uma de Raúl. Desta vez não foi um ‘hat-trick’ como das outras duas vezes (relembre a primeira e a segunda no blog). O que o eterno madridista fez foi uma grande jogada que resultou no gol da vitória do Schalke 04 diante do Augsburgo, marcado por Farfán. Com o resultado (0-1), o time de Raúl se classificou para as quartas de final da Copa da Alemanha; confira:


Jogada de Raúl e gol de Farfán aos 84min.

Jogadores Históricos: Raúl González Blanco.

Os madridistas prestam solidariedade.

Mais um Natal chegando e o clima natalino reinando. No Real Madrid não poderia ser diferente. Os madridistas (jogadores e treinadores do time de futebol e de basquete) visitaram hospitais e distribuíram brinquedos para as crianças; confira qual hospital cada madridista visitou:

Hospital / Madridistas do Futebol / Madridistas do Basquete.

 Casillas e Cristiano no famoso e tradicional Hospital Sanitas.

Um gesto nobre do Real Madrid; uma grande alegria para as crianças.

Real Madrid 1-0 Sevilla.

Em partida válida pela 16° rodada da La Liga, o Real Madrid recebeu o Sevilla no Santiago Bernabéu. As novidades foram os retornos de Ramos (estava lesionado) e Khedira (cumpriu suspensão contra o Zaragoza), além das presenças de Juanfran e Morata no banco. Por outro lado, ‘Mou’ não contou nem com Xabi Alonso e nem com Marcelo (suspensos).

Casillas ofereceu ao Bernabéu o troféu ‘Melhor Goleiro da Copa do 
Mundo de 2010’; o madridista recebeu muitos aplausos pelo prêmio.

Mourinho escalou o time inicial assim: Casillas; Ramos, Pepe, Carvalho, Arbeloa; Lass, Khedira; Di María, Özil, Cristiano Ronaldo; e Benzema.

Aproveitando os desfalques de peso da equipe adversária como Navas e Kanouté, o Real Madrid se movimentou bem em campo e explorou jogadas em velocidade com Cristiano, Di María e Özil. Melhor na partida, a equipe merengue esteve perto de abrir o placar desde o início, mas apesar dos ataques serem perigosos, faltava o remate final.

Cristiano e Di María tiveram boas chances de fora da área, mas quando os madridistas chegavam dentro da área, eram pegos com impedimento. Com o passar do tempo, o time de Mourinho foi entrando num jogo ruim, que não agradava a torcida. Aos 40min, o jogo já havia mudado e o time blanco já havia desperdiçado várias jogadas com lançamentos errados.

Benzema, que estava fazendo aniversário, não estava rendendo como ponto de referência na frente. A formação da equipe mostrava que as ausências de Marcelo na esquerda e Xabi Alonso construindo as jogadas pelo meio estavam sendo sentidas. No último minuto da primeira etapa, foi o Sevilla que chegou com perigo e quase marcou de falta.

Após um jogo tenso, a estrela de Di María brilhou.

No segundo tempo, o Real Madrid voltou pressionando, mas faltava um elo de ligação entre o meio e o ataque. Lass bem que tentou, só que os seus passes não estavam afiados. Diante disto, o Sevilla aproveitou e atacou com perigo aos 58min, quando o ex-madridista Negredo ficou de frente com Casillas e chutou para fora, para a sorte dos blancos.

‘Mou’, então, mudou o time aos 60min: Colocou Granero e León nos lugares de Khedira e Benzema. Não deu nem um minuto e o esquema foi por água a baixo, pois Carvalho levou o segundo amarelo num lance no meio de campo e a equipe ficou com um a menos.

A partir dos 65min, o jogo ficou dramático. O Real Madrid não queria perder os 100% de aproveitamento no Bernabéu na temporada. Foi então que a estrela de Di María brilhou aos 76min, após uma ótima jogada de Özil: O ‘anjo de Mourinho’ tirou do goleiro e bateu para o gol, sem ângulo, abrindo o placar da partida e marcando o gol da vitória do Real Madrid.

‘Mou’, sem seguida, tirou Özil e colocou Albiol, para segurar o resultado. Deu certo. Vitória dramática e 100% no Bernabéu. E com um a menos.

Melhores momentos e gol salvador de Di María.

O Real Madrid se prepara agora para a última partida de 2010. Será na quarta-feira, contra o Levante. Jogo de ida das oitavas de final da Copa del Rey. Os madridistas jogarão novamente em casa e depois terão um merecido descanso na semana do Natal.

Hat-trick de Raúl na Alemanha (de novo).

Raúl González Blanco não tem limites. Após um ‘hat-trick’ no mês passado (relembre aqui), o eterno madridista voltou a marcar três gols numa mesma partida. O seu segundo ‘hat-trick’ na Bundesliga. Com o resultado diante do Colonia (3-0), o Schalke 04 se distancia da zona de rebaixamento e chega ao miolo da tabela; confira mais esta marca de Raúl:

Lyon vs. Real Madrid: A revanche.

O Olympique Lyon será o adversário do Real Madrid nas oitavas de final da UEFA Champions League 2010/2011 (confira os confrontos aqui).

Rivais nas oitavas pelo segundo ano consecutivo.

O Real Madrid já enfrentou a equipe francesa seis vezes e nunca ganhou. Além disso, o time merengue nunca conseguiu marcar um gol no adversário jogando fora de casa. Ao todo, são três empates e três derrotas, com um balanço negativo para os blancos: Dez gols contra e apenas quatro a favor.

Na temporada passada, foi justamente o Lyon que eliminou o Real Madrid das oitavas da competição (1 a 0 na França e 1 a 1 no Bernabéu). Uma derrota inesquecível, visto que além de ter sido outra temporada sendo eliminado na mesma fase, a final do torneio era no Bernabéu.

Agora, com Mourinho, o Real Madrid terá a sua revanche. Mesmo clube, mesma fase. Será o maior desafio do ‘Mou Team’ na temporada. O primeiro jogo é só em fevereiro, mas a preparação já começa desde agora.

De volta à sua casa.

Raúl não jogará contra o Real Madrid. Mas por pouco. O Lyon estava no mesmo grupo do Schalke 04, o Grupo B. Se a equipe alemã tivesse ficado em segundo lugar, atrás da equipe francesa, o destino teria colocado Raúl para enfrentar a sua eterna equipe. Por outro lado, Raúl estará perto, pois voltará à Espanha para enfrentar a equipe do Valencia nas oitavas.

UEFA Champions League 2010/2011: Oitavas.

Foi sorteado hoje, em Nyon, na Suíça, os confrontos das oitavas de final da UEFA Champions League 2010/2011. O Real Madrid, por ter ficado em primeiro lugar no Grupo G, vai enfrentar o Olympique Lyon, que ficou em segundo lugar no Grupo B; confira todos os confrontos:

Confrontos das oitavas de final da UCL.

Confira as datas dos jogos do Real Madrid na Champions aqui.

Veja também:  Lyon vs. Real Madrid: A revanche.

Morata estréia e joga 4 minutos.

Poderia ser apenas um, mas o árbitro deu três minutos de acréscimos. Sorte de Morata, que pôde entrar em campo aos 89min para quase marcar um gol no La Romareda, diante do Real Zaragoza (1-3).

O canterano Álvaro Morata em sua estréia no time de Mourinho.

Em sua primeira jogada de ataque, logo na primeira ação, chutou na saída de Leo Franco. Por pouco a bola não passou pelo goleiro e entrou.

Lembrou ali a estréia de Raúl no mesmo campo, contra o mesmo time. Foi em 1994. Ali também quase marcou. Raúl, no entanto, marcou 16 anos depois, quando fechou um ciclo de ouro no Real Madrid (relembre aqui).

Morata agradeceu: “É um sonho que virou realidade. Dedico isso a minha família e todas as pessoas que compõe o clube”, disse o jovem jogador de 18 anos, que sonha agora em ter uma chance real de jogar e ser um dos atacantes do time principal. É um craque das bases do Real Madrid.

Atualizado: Morata jogou 15 minutos na última partida de 2010; confira o que disse ao término do jogo na postagem da partida (clique aqui).

Real Zaragoza 1-3 Real Madrid.

Em partida válida pela 15° rodada da La Liga, o Real Madrid visitou o Real Zaragoza no estádio La Romareda, o mesmo palco onde Raúl González Blanco iniciou e fechou o seu ciclo de ouro no time merengue (relembre aqui). Sem Ramos, Khedira e Higuaín (lesionados), ‘Mou’ deu a titularidade para Arbeloa e jogou com Benzema na frente.

Özil e Cristiano decidiram a partida no primeiro tempo.

Mourinho escalou o time inicial assim: Casillas; Arbeloa, Pepe, Carvalho, Marcelo; Xabi Alonso, Lass; Di María, Özil, Cristiano Ronaldo e Benzema.

Bem distribuído em campo, o time madridista encontrou rapidamente o caminho do gol: Marcelo deu uma belíssima assistência para Özil aos 14min. O craque alemão recebeu na grande área e bateu com categoria, abrindo o marcador. O lateral brasileiro fez uma ótima partida.

Dominando o meio de campo e não dando espaço para o time da casa jogar, o Real Madrid soube manejar a partida tocando bola com tranqüilidade. Um estilo de jogo que irritou o Zaragoza. O único ataque de perigo que conseguiram na primeira etapa (aos 39min), Casillas fez ótima defesa. Além deste lance, não puderam ver a cor da bola. Nem mesmo o goleiro, aos 44min, quando Cristiano Ronaldo cobrou uma falta com perfeição e tudo o que pôde fazer foi ver a bola entrar no ângulo.

No segundo tempo, a tranqüilidade continuou. O Real Madrid voltou bem e logo aos 46min, Xabi Alonso deu um grande lançamento para Di María. O argentino, frente a frente com o goleiro, tocou por cobertura e marcou o terceiro dos blancos.

Aos 53min, o Zaragoza teve, enfim, uma chance. Mas foi de pênalti (cometido por Carvalho). O capitão da equipe cobrou e diminuiu o marcador (1-3). O gol deu confiança ao time e o jogo ficou mais movimentado, mas o time de Mourinho conseguiu administrar o resultado até o final.

‘Mou’ ainda deu oportunidade para Granero (no lugar de Benzema), Diarra (no lugar de Özil) e, felizmente, para Morata (no lugar de Di María).

Vídeo com os melhores momentos e gols da partida.

Veja também: Morata estréia e joga 4 minutos.

O que esperar das oitavas da Champions?

O Real Madrid está nas oitavas de final da UEFA Champions League 2010/2011. A fase que “assombrou” o clube nos últimos anos. Desta vez, o clube conta com Mourinho no comando. O português conquistou duas vezes o torneio e já prospecta o terceiro título.

Os madridistas aguardam o sorteio.

O sorteio ocorrerá no dia 17 de dezembro, em Nyon, na Suíça. O Real Madrid, por ter ficado em primeiro no seu grupo, está no pote 1; confira:

Pote 1:
  • Tottenham Hotspur
  • FC Schalke 04
  • Manchester United FC
  • FC Barcelona
  • FC Bayern München
  • Chelsea FC
  • Real Madrid CF
  • Shakhtar Donetsk

Pote 2:
  • FC Internazionale
  • Olympique Lyonnais
  • Valencia CF
  • FC Copenhagen
  • AS Roma
  • Olympique de Marseille
  • AC Milan
  • Arsenal FC

Não será desta vez que o destino colocará Raúl para enfrentar o seu eterno clube. O conjunto blanco só poderá jogar contra um destes times:

Possibilidades:
  • FC Internazionale
  • Olympique Lyonnais
  • FC Copenhagen
  • Olympique De Marseille
  • AS Roma
  • Arsenal FC
AC Milan e Valencia não podem enfrentar os madridistas nas oitavas. Um por estar no grupo do Real Madrid e o outro por ser um clube espanhol.

Qual adversário você prefere enfrentar? E qual evitar?

Real Madrid 4-0 Auxerre.

Em partida válida pela 6° rodada da Champions, o Real Madrid recebeu o Auxerre no Santiago Bernabéu para encerrar a sua participação na fase de grupos. Com o primeiro lugar garantido, o time blanco não contou com Casillas, Di María e Khedira (poupados). A boa novidade ficou por conta da presença do canterano Sarabia, além da estréia ‘não planejada’ de Adán.

Benzema marcou o gol número 300 do Real Madrid na Champions.

Mourinho escalou o time inicial assim: Dudek; Arbeloa, Albiol, Carvalho, Marcelo; Lass, Granero, Diarra; Pedro León, Cristiano Ronaldo e Benzema.

Ainda sem Higuaín (lesionado), Benzema começou como titular. E começou bem: Aos 11min, recebeu passe de Cristiano e abriu o placar da partida de cabeça. Apesar de o time ser ‘alternativo’, o Real Madrid comandou o jogo e teve várias oportunidades de aumentar o marcador mesmo sem precisar jogar num bom nível.

O Auxerre, por sua vez, teve alguns contra-ataques perigosos. Num destes, aos 26min, Dudek mostrou serviço e fez uma defesa ‘a la’ Casillas. E se Dudek teve sorte por jogar no lugar de Casillas, Adán teve sorte de entrar no lugar de Dudek: No fim da primeira etapa, o goleiro reserva do Real Madrid se machucou e teve de dar lugar ao goleiro canterano.

No segundo tempo, o jogo ganhou um pouco mais de vida. Marcelo iniciou uma ótima jogada aos 49min e serviu Cristiano Ronaldo. O português, incansável, recebeu e chutou com categoria, aumentando o marcador. Na comemoração, Cristiano e Marcelo foram abraçar Pepe no banco.

O melhor momento veio aos 71min, quando Benzema marcou o terceiro gol da partida (após bela assistência de Lass) e Sarabia entrou em campo (no lugar de Cristiano); aos 75min, Garay entrou no lugar de Marcelo, o que impediu a estréia de Morata.

Benzema ainda teve tempo de marcar um golaço aos 88min, após aproveitar um passe errado do goleiro e encobrir o mesmo. Hat-trick.

O jogo de hoje foi importante para vermos, enfim, os canteranos jogando mais do que dois minutos. A estréia de Adán não foi planejada, mas pelo menos ele jogou o segundo tempo inteiro. Sarabia poderia jogar no mínimo 45min, mas infelizmente demorou para entrar. Porém, entrou muito bem. Já Morata, esperado para hoje, terá de esperar mais tempo.

O Real Madrid ainda está muito longe do ideal no sentido de dar chance aos jogadores de base, mas hoje deu um pequeno passo adiante.

Vídeo com os gols e melhores momentos da partida.

O Real Madrid encerra a fase de grupos da Champions em 1° lugar e pensa agora na partida contra o Zaragoza, fora de casa, pela La Liga.

Assistência de peito de Raúl para Jurado.

No fim de semana, Raúl se machucou numa jogada que originou em gol na Bundesliga (assista aqui). Hoje, o eterno madridista entrou em campo com o Schalke 04 no último jogo da equipe alemã na fase de grupos da UEFA Champions League e contribuiu com a vitória diante do Benfica com uma belíssima assistência de peito para Jurado; confira:

 Gol de Jurado com passe de Raúl aos 18min.

2010 é o ano de Iniesta.

Difícil ver três jogadores do Barcelona no pódio para receber o prêmio de melhor jogador do mundo da FIFA referente ao ano de 2010. Difícil, pois se trata do maior rival do Real Madrid. Por outro lado, é fácil analisar os três craques. Simplesmente por que são craques de bola.

“Dani Jarque siempre con nosotros”.

Messi, Xavi ou Iniesta? As opiniões se dividem, mas darei a minha breve opinião na postagem. Acredito que o terceiro lugar será injusto. Sneijder e Forlán também mereciam estar aí. O primeiro fez uma grande temporada, conquistou a tríplice coroa com a Inter e marcou cinco gols na Copa do Mundo. O segundo comandou o Uruguai numa campanha histórica na África do Sul e levou o Atlético de Madrid ao título da Europa League.

Mas no lugar de quem um dos dois entraria? No de Messi, o melhor jogador do mundo em 2009. O argentino fez uma grande temporada com o Barcelona como era esperado, porém não brilhou com a Argentina na Copa do Mundo, como também era esperado. E em ano de Copa do Mundo, brilhar na Copa é sinônimo de brilhar no prêmio da FIFA.

O primeiro lugar é uma das decisões mais difíceis de tomar. Frente a frente, dois amigos e companheiros tanto de clube quanto de seleção. Xavi e Iniesta são simplesmente os jogadores que fizeram e fazem Messi ser Messi. Os espanhóis não jogam na seleção argentina. E Messi brilha no Barcelona. Esse é o grande segredo do time catalão: Xavi e Iniesta.

Apesar de ser o maior rival do time merengue, há de se parabenizar a equipe por ter formado estes jogadores. Inicialmente, pensaria em dividir o prêmio em dois, pois são os suportes e peças-chave tanto do Barcelona quanto da seleção espanhola. E se Messi fez uma grande temporada no Barcelona, Xavi e Iniesta fizeram uma grande temporada no Barcelona e ainda fizeram história ao levar a Espanha ao inédito título da Copa do Mundo.

Agora, sendo obrigado a escolher um, penso que o vencedor deveria vir com uma diferença de apenas um voto. Xavi sempre foi um comandante. Um líder que nunca precisou estar no centro dos holofotes. Um grande jogador, que sempre mereceu o reconhecimento pelo seu trabalho. Em outras circunstâncias, deveria receber o prêmio de olhos fechados.

Mas só podemos escolher um. E, como não dá para agradar a todos, só podemos analisar o ano com cada passe, cada gol, cada jogada e cada momento único para fazermos a melhor escolha. Uma imagem nunca vai sair da minha cabeça, e acredito que se passa o mesmo com milhões de outras pessoas: Casillas, agachado, chorando compulsivamente por um único momento. Um momento que mudou a história da Espanha.

Casillas estava de um lado do campo, desabafando um sentimento que nada mais era do que um sonho mágico que tinha acabado de virar realidade. Do outro lado do campo, a bola já estava no fundo da rede. Iniesta acabava de marcar o gol mais importante da história do futebol espanhol.

O momento era único. Mas Iniesta não pensou só em si, pelo contrário, tirou a camisa e dedicou o gol ao amigo que havia falecido: Dani Jarque. Um gesto nobre. Inesquecível. Vibrou, chorou. Deu o título para a Espanha e lembrou-se do amigo. Ali, naquele 11 de julho, fez a Espanha ser grande. E se fez mais grande ainda. 2010 é o seu ano.

Raúl dá o sangue pelo Schalke 04.

Um longo lançamento e Raúl corre para pegar a bola. Não havia destino. Domínio. Recuperação. Luta com o rival e o supera. Já se encontra na grande área. Outro rival. Outro drible. Os rivais não o puderam parar. Um amigo, em sua frente, o fez. Era Huntelaar. Não foi por querer. Raúl caiu, com sangue no rosto. O lance seguiu. Jurado chutou. Trave. Gol. Raúl se retirou ferido. Já havia mudado o rumo da partida.

Raúl nunca desiste.

Real Madrid 2-0 Valencia.

Em partida válida pela 14° rodada da La Liga, o Real Madrid recebeu o Valencia no Santiago Bernabéu. Sem Higuaín (lesionado), ‘Mou’ surpreendeu ao não colocar Benzema no time inicial. O time merengue, por sua vez, buscou a vitória para fazer a torcida esquecer-se da derrota no Camp Nou.

Após duas oportunidades (sendo uma de calcanhar na trave), Cristiano Ronaldo 
marcou o gol da vitória do Real Madrid no segundo tempo e fechou o jogo com um golaço.

Mourinho escalou o time inicial assim: Casillas; Arbeloa, Pepe, Albiol, Marcelo; Xabi Alonso, Khedira, Lass; Di María, Özil e Cristiano Ronaldo.

Com uma nova dupla de zaga, Mourinho encaixou o time para suprir as ausências de Carvalho e Ramos (suspensos). Canales, que não vem tendo muitos minutos na equipe, lesionou-se novamente e não esteve nem no banco. A novidade ficou por conta do canterano Morata, que esteve presente como suplente.

Di María levantou o Bernabéu logo no começo com uma bonita jogada individual. O argentino fez boas jogadas pela ponta direita do campo. Com Cristiano de ponto de referência na frente, o Real Madrid atacou mais pela direita, justamente com Di María, que participou das principais jogadas da equipe merengue.

O Valencia, no entanto, respondeu rápido com Mata e esquentou o jogo. Com o passar dos minutos, o jogo ficou equilibrado com ambas as equipes lutando pela posse de bola no meio de campo. No entanto, os ataques dos dois times não chegavam com tanto perigo.

A melhor jogada do primeiro tempo veio com um toque de Özil para Khedira aos 34min. O volante madridista entrou na área e chutou em cima do goleiro. Após o lance, o Real Madrid melhorou muito na partida e partiu para cima. Aos 38min, numa jogada que começou com Marcelo pela esquerda, o time blanco teve uma falta na entrada da área. Özil cobrou e obrigou o goleiro a fazer uma boa defesa.

No último minuto da primeira etapa, Cristiano premiou a torcida com um lindo toque de letra após receber passe de Özil. A bola, porém, bateu na trave. Seria um golaço.

No segundo tempo, os madridistas tiveram duas chances claras de gol logo nos primeiros minutos. Para Cristiano faltou sorte mais uma vez, pois a bola esbarrou no goleiro e saiu; para Di María faltou força, pois o argento tentou encobrir o goleiro, mas o mesmo alcançou a bola. Foi então que Mourinho colocou Benzema em campo (no lugar de Khedira).

O francês entrou bem e nos primeiros toques quase abriu o marcador. Cristiano pôde cair pelas pontas e a equipe merengue ficou mais forte; Marcelo estava fazendo um grande jogo pela esquerda. Mas o Valencia não estava morto, assustava com ataques perigosos. A sorte do Real Madrid é que Albelda levou o segundo amarelo e o Valencia ficou com um a menos.

Podendo comandar o jogo, o Real Madrid aproveitou a vantagem de um jogador a mais em campo e abriu o marcador aos 73min com Cristiano Ronaldo, após um ótimo passe de Özil. O português recebeu dentro da área e chutou forte, sem chances para o goleiro. Mourinho, então, tirou o craque alemão e colocou Granero em campo.

Para finalizar, Cristiano Ronaldo marcou um golaço após uma bela jogada individual. Apesar da dificuldade ao longo do jogo, o Real Madrid terminou a partida com tranqüilidade. A expulsão foi determinante para a vitória blanca.

| 1-0 | 2-0 | Cristiano Ronaldo + Highlights.

O Real Madrid se prepara agora para encerrar a fase de grupos da Champions recebendo a equipe do Auxerre no Bernabéu. Vale lembrar que o conjunto blanco já está classificado em primeiro lugar do grupo.

Nova chance para Benzema.

A lesão de Higuaín abriu portas para Benzema. Com a ausência repentina do argentino para o jogo no Camp Nou, o francês ganhou a oportunidade de jogar o clássico dos recordes. Passou despercebido, assim como quatro das cinco vezes que começou como titular.

Benzema durante partida contra o Ajax.

No entanto, o atacante entrou bem nas últimas partidas em que começou na reserva e, inclusive, marcou um golaço na Champions contra o Ajax, onde começou como titular. Ao todo, Benzema jogou 667 minutos na temporada e marcou em todas as competições. Porém, uma vez em cada, sendo que na Copa del Rey Cristiano Ronaldo o deixou cobrar um pênalti.

Comparado a temporada passada, Benzema melhorou muito. Além do golaço contra o Ajax, foi crucial nas vitórias do time blanco contra o Milan (em San Siro) e Sporting de Gijón, também fora de casa.

Benzema tem bagagem na Champions. Já igualou Ronaldo e Zidane com 14 gols na competição. É um bom número por se tratar da maior competição de clubes da europa e do mundo.

Contra o Valencia, terá uma nova chance. Será titular pela segunda vez consecutiva. É a oportunidade de ouro para melhorar sua imagem na La Liga e mostrar que o Real Madrid possui um bom reserva para Higuaín.

Atualização: Benzema não começou como titular diante do Valencia, ao contrário do que se esperava. No entanto, o francês entrou bem no decorrer da partida e participou da vitória do Real Madrid por 2 a 0.

Casillas treina sozinho.

O goleiro do Real Madrid Iker Casillas treinou sozinho hoje em Valdebebas. O madridista retornou de Zürich, onde foi apoiar a candidatura ibérica para sediar a Copa do Mundo de 2018. Infelizmente, Espanha e Portugal perderam para a Rússia; Qatar levou para 2022.

Casillas chegou em Madrid e foi direto para Valdebebas.

Iker não perdeu tempo e já tratou de voltar para Madrid para dar continuidade ao trabalho preparatório para o difícil jogo contra o Valencia neste fim de semana. O preparador de goleiros Silvino Louro esteve presente nos 45 minutos que o capitão do Real Madrid e da seleção espanhola treinou.

O Real Madrid, por sua vez, treinou hoje com os portões fechados. Amanhã Casillas se junta aos seus companheiros e Mourinho comandará o último treino da equipe blanca antes do jogo no Santiago Bernabéu.

Grande, Iker!

Apresentação do livro ‘Di Stéfano. Histórias de uma lenda’.

Foi apresentado no palco de honra do estádio Santiago Bernabéu o novo livro do presidente de honra do Real Madrid, ‘Di Stéfano. Histórias de uma lenda’. Estiveram presentes na apresentação o presidente do clube, Florentino Pérez, além de pessoas que fizeram parte do livro, como os escritores Enrique Ortego e Luis Miguel González.

 Alfredo di Stéfano posa para foto durante apresentação.

Pérez discursou e não escondeu a admiração pela lenda: “É um livro muito especial para todos. Para o Real Madrid é uma nova mostra de agradecimento e um novo gesto de justiça para um homem que devemos boa parte de tudo aquilo que é esta instituição”, comentou o presidente.

Florentino ainda definiu Di Stéfano com essas palavras: “Uma mescla de ambição, caráter, valentia, entrega, respeito, lealdade, solidariedade e um talento que o torna único. O primeiro grande ícone do Real Madrid e o melhor jogador de todos os tempos. Um revolucionário, que transformou este clube para sempre”, concluiu o presidente do Real Madrid.

Gago, Ramos, Di María e Garay prestigiaram Don Alfredo.

Presente em conquistas épicas ao longo da história do clube, Di Stéfano chegou em 1953 e conquistou inúmeros títulos. Os mais importantes, as cinco Copas da Europa; entre algumas palavras, agradeceu ao clube: “Tudo o que fiz foi pela equipe. Nós revolucionamos o futebol europeu porque ganhamos cinco Copas da Europa seguidas”, comentou Alfredo.

Veja também outros livros:

A primeira derrota de Mourinho no Real Madrid.

José Mourinho sofreu a primeira derrota como treinador do Real Madrid. Após 25 partidas (contando Real Madrid e Internazionale), o técnico madridista viu a derrota no Camp Nou, o mesmo palco onde fez história com o time italiano na Champions, eliminando o time da Catalunha.

Mourinho comandando o conjunto blanco.

O Real Madrid também tinha um bom número: 26 partidas sem perder (contando Mourinho e Pellegrini). A última derrota de Pellegrini também foi contra o Barcelona. O placar foi 2 a 0, gols de Messi e Pedro.

O clássico dos recordes ainda deixou um dado sobre Cristiano e Messi: O português segue sem marcar no Barcelona. Foram seis as oportunidades. Já o jogador argentino, tão pouco conseguiu marcar contra uma equipe comandada por Mourinho. No entanto, já marcou contra o Real Madrid.

‘Mou’ reconheceu que nunca havia perdido por uma diferença tão grande (5-0). Porém, o treinador blanco não prolongou o caso e já tratou de fazer a equipe merengue pensar no jogo contra o Valencia, afinal, apenas dois pontos separam Barcelona e Real Madrid na tabela. Será um grande desafio contra o Valencia, uma equipe que mostrou a sua força numa temporada em que todos acharam que seria fraca após as saídas de Silva e Villa. 

Um campeonato de 38 rodadas não é decidido na 13°. Mourinho pode reverter a situação ao longo da temporada ou até mesmo no clássico do segundo turno no Bernabéu. Não se sabe quem estará líder até lá, mas os madridistas, independente de tudo, vão querer uma única coisa: a revanche.

FC Barcelona 5-0 Real Madrid.

Em partida válida pela 13° rodada da La Liga, o Real Madrid visitou o rival FC Barcelona no Camp Nou para o jogo mais esperado do primeiro turno. Após uma semana de preparação, debates e entrevistas, o clássico dos recordes proporcionou noventa minutos de futebol em plena segunda-feira.

Um Camp Nou lotado para ver Barcelona e Real Madrid.

Mourinho escalou o time inicial assim: Casillas; Ramos, Pepe, Carvalho, Marcelo; Xabi Alonso, Khedira; Di María, Özil; Cristiano Ronaldo e Benzema.

Sem Higuaín, que não se recuperou de lesão, o Real Madrid preservou a tática das últimas semanas e contou com Benzema como ponto de referência na frente. Já o Barcelona, com Valdes; Alves, Pique, Puyol, Abidal; Busquets, Xavi, Iniesta; Messi, Pedro e Villa, contou com o apoio da torcida, que recebeu os madridistas com muitas vaias no Camp Nou.

Os madridistas não conseguiram produzir no primeiro tempo.

Debaixo de chuva, o clássico começou quente. O Barcelona ditou o ritmo da partida nos primeiros minutos e teve mais posse de bola. Messi acertou a trave logo aos 5min e quase marcou um golaço. Sem muita opção, o Real Madrid se defendia na tentativa de recuperar a bola e iniciar algum contra-ataque perigoso. No entanto, o time da casa estava bem: Aos 9min, Iniesta serviu Xavi sozinho dentro da área e o espanhol abriu o placar.

O Real Madrid tentou reagir aos 14min com Cristiano Ronaldo pela ponta esquerda do campo. O português serviu Benzema dentro da área, mas Valdes defendeu para escanteio. Mas não era o suficiente, uma vez que o time catalão tinha o domínio do meio de campo. Aos 18min, Pedro marcou o segundo do Barcelona numa boa jogada coletiva da equipe.

Pressionando bastante, os catalães não se seguraram e continuaram atacando. Os madridistas não conseguiam encontrar uma saída. A partida então teve uma pausa na metade da primeira etapa com um lance polêmico entre Cristiano, Guardiola e Valdes. Sobrou amarelo para os dois jogadores. Aos 34min, o português quase marcou de falta, a bola passou rente a trave. Foi o lance mais perigoso dos merengues no primeiro tempo.

Messi se destacou no segundo tempo com duas assistências.

No segundo tempo, Mourinho colocou Lass em campo no lugar de Özil. Porém, o Barcelona continuou bem e atacou os blancos. Com Messi e Xavi, o time da casa quase marcou o terceiro em algumas oportunidades. Aos 55min e aos 57min, não teve jeito: Messi, jogando muito, tocou para Villa e o ex-jogador do Valencia marcou o terceiro e o quarto.

'Mou', então, colocou Arbeloa no lugar de Marcelo. Era tentar um milagre ou não levar mais gols. Os madridistas só puderam assistir ao jogo até o fim e levar o quinto nos acréscimos, do jovem Jeffren, das bases do Barcelona.

  • 1-0 Xavi: Assista ao vídeo clicando aqui.
  • 2-0 Pedro: Assista ao vídeo clicando aqui.
  • 3-0 Villa: Assista ao vídeo clicando aqui.
  • 4-0 Villa: Assista ao vídeo clicando aqui.
  • 5-0 Jeffren: Assista ao vídeo clicando aqui.

O Real Madrid perde a invencibilidade e a liderança do campeonato espanhol. O jogo coletivo do Barcelona impediu que o time de Mourinho jogasse da forma que vinha jogando ao longo da temporada. O resultado foi justo, dentro daquilo que as duas equipes fizeram em campo.

Veja também: A primeira derrota de Mourinho no Real Madrid.

O clássico dos recordes.

O Real Madrid chegará ao Camp Nou líder do campeonato espanhol. Após 12 rodadas, o time merengue ocupa a primeira posição com 32 pontos. Isto significa que foram até aqui 10 vitórias e 2 empates. É a primeira vez na história que o clube alcança tamanho registro nesta fase da La Liga.

Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, uma briga entre gigantes.

Será o primeiro super clássico de Mourinho. O português também está na história, já que é o melhor treinador estreante da história da La Liga. Cristiano Ronaldo, então, nem se fala. É o artilheiro do campeonato com 15 gols em 12 rodadas, algo que nenhum jogador do Real Madrid conseguiu fazer desde a temporada 1935/36, quando Sañudo marcou 16 vezes; veja os números de Cristiano em 50 partidas de blanco.

E Casillas, o salvador do Real Madrid e da seleção espanhola? Contra o Bilbao, conquistou a sua vitória de número 250. Só levou 6 gols até o momento, o que dá uma média de 0,5 gols recebidos por partida nestas 12 rodadas. Tal número o converte no ‘Zamora’ da La Liga.

Apesar de a semana ter contado com uma rodada da Champions, ninguém esqueceu o clássico. Cristiano minimizou o fato de o Barcelona ter goleado o Almería por 8 a 0: “Vamos ver se eles nos metem 8”, disse o português. Do lado dos catalães, Bojan disse: “Com 1 a 0 nos conformamos”. Os treinadores, no entanto, não entraram em atrito.


Trailer do clássico em HD.

O Barcelona está um ponto atrás, o que significa que quem vencer no Camp Nou será o líder. Messi também luta pela artilharia. O argentino marcou 13 gols até aqui. É um clássico de recordes. Não é a toa que é o maior clássico do futebol mundial. Todos estarão ligados em plena segunda-feira.

"Que ganhe o melhor. E o melhor será o Real Madrid."
Crstiano Ronaldo, sobre o clássico no Camp Nou.

A imprensa holandesa e a estratégia de Mourinho.

A goleada do Real Madrid diante do Ajax por 4 a 0 no Amsterdam Arena teve efeitos de todos os sentidos. Na Holanda, a imprensa do país lamentou a imagem do time da casa e aplaudiu a “lição” que o time de Mourinho deu na Champions. Um dos diários do país, o ‘De Volkskrant’, comentou assim: “Os homens de Mourinho fizeram o seu trabalho, enquanto os do Ajax tiveram que dar tudo para simplesmente poder jogar”.

 Seqüência do diálogo da estratégia de ‘Mou’.

Em contrapartida, a imprensa mundial e principalmente os desafetos de Mourinho, questionaram as expulsões planejadas de Xabi Alonso e Sergio Ramos. O treinador merengue, com a vitória garantida, passou informações para que os dois forçassem suas expulsões para poderem chegar às oitavas de final sem nenhum cartão (vide seqüência na foto acima). Ambos já tinham um amarelo na partida.

A estratégia de Mourinho rendeu polêmica, como tudo o que envolve o mesmo. A UEFA, no entanto, anunciou que iria investigar o ocorrido (estão à espera da ata da partida), já que não é a primeira vez que isto acontecesse.

Em 2008, Juninho e Cris forçaram o cartão amarelo em uma partida do Lyon contra a Fiorentina e foram punidos com uma multa de 10 mil euros. Porém, puderam disputar as partidas de oitavas de final normalmente.

Mourinho, no entanto, desmentiu que tudo tenha sido planejado após o jogo. Comentou assim: “Não podemos tomar este tipo de cartão”; Ramos também não admitiu: “Quando Iker se aproximou, foi para falar coisas sobre a partida”, desviou. Todavia, Casillas deixou escapar algo: “Tinha que dar uma ordem. Dudek me transmitiu e tudo se saiu bem”, comentou o goleiro.

O Real Madrid controlou tudo: A partida, o resultado e inclusive os cartões amarelos. Mourinho é sim um estrategista. Pensa, projeta e executa, sem medo. Não é modesto, até disse isso em entrevista. Mais um grande resultado na temporada. A equipe segue incomodando os adversários.

Ajax 0-4 Real Madrid.

Em partida válida pela 5° rodada da Champions, o Real Madrid visitou o Ajax no Amsterdam Arena, o mesmo palco onde conquistou o 7° título do torneio. Com as ausências de Carvalho, Khedira e Higuaín (lesionados), ‘Mou’ deu oportunidade para Albiol, Lass, León e Benzema na equipe titular.

Benzema aproveitou a sua oportunidade a marcou um bonito 
gol; Cristiano Ronaldo, ao fundo, brilhou no segundo tempo.

Mourinho escalou o time inicial assim: Casillas; Arbeloa, Albiol, Ramos, Marcelo; Xabi Alonso, Lass; Pedro Léon, Özil, Cristiano; e Benzema.

Com os jovens espanhóis Morata, Mateos e Canales no banco, o Real Madrid partiu em busca da liderança definitiva do grupo. Cristiano, incansável, foi destaque nas primeiras jogadas da equipe com muita velocidade. Comandando o meio de campo, os madridistas se postaram melhor e exploraram as jogadas pelas pontas.

A partir dos 15min, o Ajax cresceu, mas a dupla de volantes Xabi e Lass conseguiu desarmar os ataques do time da casa. No entanto, o Real Madrid encontrou dificuldades de armar as jogadas. Os lances perigosos nasciam apenas nos contra-ataques, após o Ajax subir e perder a(s) bola(s).

Benzema foi o ponto de referência na frente, mas faltou apoio ao lado do francês para as jogadas fluírem. Cristiano armava pela esquerda; León, pela direita. O gol, todavia, saiu pelo meio, aos 35min: Xabi deu um belo lançamento do meio de campo para Özil. O alemão, com extrema categoria, deu de calcanhar para Benzema chutar no ângulo e abrir o placar.

Após o gol, o Real Madrid dominou a partida. Cristiano Ronaldo saiu da ponta esquerda e apoiou mais, inclusive criando jogadas com Benzema, que fez um bom jogo. Numa destas jogadas, saiu uma falta que originou o segundo gol: Cristiano cobrou, a bola deu rebote e Arbeloa chutou de fora da área. O goleiro da casa ajudou. 2 a 0.

No segundo tempo, Cristiano apareceu logo aos 47min com uma bela jogada individual (um ‘drible da vaca’) e quase marcou um golaço (a bola bateu na trave). O português foi ‘perseguido’ em campo.

Aos 65min, ‘Mou’ colocou Di María em campo e tirou León. O Ajax teve a chance de reagir, mas Casillas salvou a equipe blanca. Foi então que a estrela de Cristiano brilhou: Di María serviu o português, que marcou mais um gol na temporada. Depois, foi só festa: Özil sofreu pênalti aos 80min e Cristiano cobrou para marcar o quarto gol do time blanco.

Com a goleada, ‘Mou’ colocou Canales e Mateos e tirou Benzema e Lass no fim. Infelizmente, Xabi Alonso e Sergio Ramos foram expulsos por besteira (ou de forma premeditada), levando o segundo amarelo.

Vídeo com os gols da partida.

O Real Madrid, que já estava classificado para as oitavas, garantiu o 1° lugar do grupo e se prepara agora para o super clássico do dia 29.

Novo cargo: Foi a primeira partida em que Zinedine Zidane participou oficialmente como representante da presidência do Real Madrid, um ‘elo’ entre Mourinho e os jogadores com Florentino Pérez. O francês estará presente principalmente nas partidas do time merengue na Champions.

Veja também: A imprensa holandesa e a estratégia de Mourinho.

Rock'n'Raúl.

O ‘hat-trick’ conquistado por Raúl González Blanco na goleada do Schalke 04 diante do Werder Bremen por 4 a 0 (confira aqui), foi destaque em todos os jornais da Alemanha e do mundo. Uma clara demonstração que o eterno madridista já ganhou o respeito de todos em sua nova vida.

Wallpaper do Blog do Madridista para Raúl; clique para aumentar e salvar (1600 x 1200).

“Rock'n'Raúl para o Schalke”, este foi o título do jornal ‘Bild’, resumindo a jornada da Bundesliga. O termo ‘Rock'n'Raúl’ saiu do ex-madridista Christoph Metzelder, que após o jogo disse em entrevista: “Por fim vimos o Rock'n'Raúl. É uma loucura”, comentou o zagueiro.

O detalhe é que Raúl marcou os três gols com o pé-direito, sendo que é canhoto. Foi inédito na sua carreira. E um deles, o último, um golaço de cobertura, lembrando os tempos de ouro de Real Madrid.

Até o momento, Raúl possui 6 gols na Bundesliga e 2 na Champions. A Alemanha aplaude Raúl. É uma estrela que nunca perde o brilho.

Llorente, a surpresa da temporada.

Fernando Llorente iniciou a temporada com o pé-direito. Havia conquistado a confiança de Del Bosque, foi para a Copa do Mundo e se sagrou campeão do mundo com a Espanha sendo reserva na equipe. Na volta da África do Sul, ganhou destaque na seleção e teve mais minutos.

Llorente comemora o seu gol ao lado de Ramos numa partida contra a Lituânia.
No seu clube, o Athletic Bilbao, Llorente deu continuidade à sua boa fase. Atualmente, o atacante espanhol possui 9 gols em 12 partidas. É o terceiro artilheiro da La Liga, só ficando atrás de Cristiano Ronaldo e Messi.

Na 12° rodada da La Liga, marcou um gol no Real Madrid, na goleada do time merengue por 5 a 1. Foi o 4° gol do camisa ‘9’ (ou ‘19’ na seleção) em cima do Real Madrid. 4 gols em 10 partidas contra o time blanco.

Ao término do jogo, Llorente elogiou o estádio do Real Madrid: “O Bernabéu é muito especial”, disse. Os madridistas parecem gostar do jogador, já que a maioria o aplaudiu quando foi substituído no fim do segundo tempo.

Provavelmente Llorente estará em algum clube grande na próxima temporada. O Real Madrid pode ser o seu destino, já que Mourinho demonstrou interesse no atacante. Se isso vai se concretizar, não se sabe, mas Llorente surgiu e quer triunfar. É a sua melhor temporada.

Falando sobre números, não podemos deixar de citar um madridista. Se Llorente leva 4 gols em 10 partidas contra o Real Madrid, Higuaín marcou no último jogo o seu gol número 6 em 6 partidas contra o Athletic Bilbao.

Real Madrid 5-1 Athletic Bilbao.

Em partida válida pela 12° rodada da La Liga, o Real Madrid recebeu o Athletic Bilbao no Santiago Bernabéu. A novidade ficou por conta de Mourinho, que se sentou ao lado dos torcedores, próximo do banco de reservas. O treinador cumpriu os dois jogos de suspensão ao qual lhe foi imposto e poderá comandar a equipe normalmente na próxima rodada.

Após um grande 1° tempo com a seleção portuguesa, Cristiano voltou com tudo.

Mourinho escalou o time inicial assim: Casillas; Ramos, Pepe, Carvalho, Marcelo; Xabi Alonso, Khedira, Di María, Özil; Cristiano Ronaldo e Higuaín.

Sabendo da goleada do Barcelona diante do Almería por 8 a 0, o time blanco teve a missão de passar pelo Bilbao para se manter na liderança do campeonato espanhol uma rodada antes do super clássico do dia 29.

A partida começou com uma bonita jogada de Llorente no primeiro minuto. O camisa ‘19’ da seleção espanhola deu trabalho para a defesa merengue. Já na frente, Di María foi o encarregado de iniciar os primeiros ataques com velocidade pela ponta direita. E no primeiro chute a gol, o Real Madrid abriu o placar: Jogada entre argentinos, Di María passou para Higuaín dentro da área aos 19min e o atacante marcou.

Após o gol, o Real Madrid se segurou e o Athletic Bilbao saiu para o ataque. Casillas teve de fazer duas ótimas defesas e salvar o time. No entanto, os madridistas aproveitaram um lance de contra-ataque em uma das subidas do time visitante e marcaram o segundo gol com um grande lançamento de Higuaín para Özil e um grande passe de Özil para Cristiano Ronaldo, que marcou com categoria de fora da área.

Aos 39min, foi a vez de Llorente aparecer e diminuir o marcador: O espanhol pegou de primeira uma sobra de bola dentro da área e deu vida ao time visitante. Os madridistas reclamaram impedimento no lance, mas o gol foi validado. Ainda na frente do placar, o Real Madrid voltou bem para o segundo tempo e Casillas logo teve de fazer outra grande defesa.

O Athletic voltou melhor e acreditou no empate até os 55min, quando Di María sofreu pênalti. Sergio Ramos cobrou para surpresa de todos e marcou o terceiro dos blancos. Cristiano Ronaldo não precisava deste gol para ser o artilheiro do campeonato espanhol: Aos 62min, o português sofreu falta, cobrou e marcou um golaço (com a ajuda do goleiro).

Tranqüilo no marcador, o Real Madrid administrou o resultado até o final. ‘Mou’ deu oportunidade para Lass (no lugar de Khedira), Benzema (no lugar de Higuaín) e Granero (no lugar de Özil). Granero ainda sofreu um pênalti aos 90min. Desta vez Cristiano cobrou: Hat-trick.

Vídeo com os melhores momentos e gols da partida.

Artilharia: Cristiano Ronaldo é o artilheiro do campeonato espanhol com 15 gols; Messi vem logo atrás, com 13; Llorente é o terceiro, com 9 tentos.

Hat-trick de Raúl na Alemanha.

O eterno madridista segue somando. Desta vez foi um hat-trick na goleada do Schalke 04 diante do Werder Bremen por 4 a 0; confira o show de Raúl:

Show de Raúl, com direito a um golaço de cobertura.

O resultado fez o time de Raúl respirar na Bundesliga. O camisa 7 deixou o campo faltando dez minutos para o fim e recebeu calorosos aplausos da torcida no Arena. Não há limtes para o goleador. É uma lenda viva.

Maradona visita Valdebebas.

O Real Madrid recebeu hoje a ilustre visita de Diego Maradona em Valdebebas. O gênio argentino conversou com alguns dos jogadores do elenco madridista e acompanhou o treino do time ao lado de Mourinho.

Ao lado de Mourinho, Casillas e Maradona, dois capitães 
que tiveram a honra de levantar a taça da Copa do Mundo.

Cristiano Ronaldo e Maradona, um encontro ‘estrelar’.

Dieguito com os madridistas argentinos e Ramos.

Maradona e Mourinho acompanhando o treino.

Por fim, ‘Mou’ autografou uma camisa do Real Madrid para Maradona: 
“Me dá vergonha te assinar uma camisa. É o número um. Te adoro”, escreveu.

Maradona, entre algumas palavras, elogiou Mourinho e disse que o treinador blanco levará o Real Madrid ao título da Champions.

Um encontro de gigantes.

Portugal 4-0 Espanha.

A seleção espanhola entrou em campo hoje no Estádio da Luz de Lisboa para enfrentar a seleção portuguesa em um belíssimo amistoso. A partida contou com madridistas dos dois lados. A novidade do lado da Espanha foi a estréia da nova camisa de campeã do mundo. Já de Portugal, a novidade foi Cristiano Ronaldo, que estreou as chuteiras ‘leopardo’ com a seleção.

O madridista Cristiano Ronaldo fez um belo primeiro
tempo e levou a melhor no confronto com Busquets.

Del Bosque escalou o time inicial assim: Casillas; Ramos, Puyol, Pique, Capdevila; Busquets, Xabi Alonso; Silva, Xavi, Iniesta; e David Villa.

O jogo começou bem movimentado. Nani deu o primeiro chute a gol e obrigou Casillas a fazer uma ótima defesa. Iniesta deu o troco e chutou de fora da área, assustando os portugueses. O ritmo foi diminuindo com a passar do tempo e Portugal foi aproveitando os contra-ataques rápidos pelas pontas do campo. Sem referência na frente, os ataques da Espanha só dependiam do meio de campo.

Aos 36min, Cristiano proporcionou a jogada mais bonita da partida e por pouco não marcou um gol antológico. O português tocou por cobertura e a bola foi entrando. Nani, numa atitude precipitada, colocou a cabeça e o árbitro anulou o gol por impedimento (inexistente) do jogador do Manchester. Cristiano ficou muito bravo, pois perdera ali um gol que ficaria marcado na história do confronto entre as duas seleções.

Melhor na partida, Portugal atacou bastante e graças a Cristiano Ronaldo abriu o placar no final do primeiro tempo. O madridista driblou Busquets, chutou e Casillas deu rebote. Na sobra, Martins marcou.

No segundo tempo, as seleções mudaram os seus times. As mais notadas foram as saídas de Cristiano, Xavi e Iniesta e as entradas de Torres e Llorente. E quem aproveitou foi Portugal, que aumentou o marcador logo aos 49min com Postiga. Com gritos de olé, a seleção da casa chegou ao terceiro gol aos 69min, novamente com Postiga.

A Espanha não conseguiu reagir diante da postura do adversário. Ao invés da reação, veio o quarto gol aos 90min, com Hugo Almeida.


Cristiano Ronaldo quase marcou o gol mais bonito da história entre Portugal vs. Espanha.

Foi a partida número 34 de Portugal vs. Espanha na história. O único lamento é que o gol de Cristiano Ronaldo tenha sido “anulado” tanto por Nani quanto pelo bandeira. O português merecia este gol no seu currículo.

Nova camisa da Espanha campeã do mundo.

A Adidas lançou nessa semana a nova camisa da seleção espanhola. A nova vestimenta dos campeões do mundo será usada durante toda a fase de classificação para a Euro 2012. A novidade é o escudo oficial da FIFA no peito, além da estrela do título da Copa do Mundo de 2010.

Llorente, Villa e o madridista Xabi Alonso posam com a nova camisa.
A nova camisa será utilizada pela primeira vez contra a seleção de Portugal, no dia 17 de novembro, no Estádio da Luz de Lisboa.

Sporting de Gijón 0-1 Real Madrid.

Em partida válida pela 11° rodada da La Liga, o Real Madrid visitou o Sporting de Gijón no estádio El Molinón. Sem Mourinho (suspenso por dois jogos) e sabendo das polêmicas declarações de Preciado (veja aqui), os madridistas tiveram um incentivo a mais para vencer e continuar na liderança isolada do campeonato espanhol com 29 pontos.

Higuaín marcou o gol da vitória do Real Madrid.
Mourinho escalou o time inicial assim: Casillas; Ramos, Pepe, Carvalho, Marcelo; Xabi, Khedira; Di María, Özil, Cristiano Ronaldo e Higuaín.

Ao contrário do que fez contra o Barcelona, o Sporting foi para cima e dificultou para os madridistas no começo. No entanto, o gás do time da casa acabou rápido. Aos 9min, Pepe deu um ótimo passe em profundidade e a bola sobrou para Higuaín, que acertou a trave. O argentino esteve em sintonia com Di María e ambos criaram algumas jogadas, mas o Real Madrid se prejudicou com muitos passes errados.

A partir dos 30min, a partida ficou tensa. O Sporting de Gijón queixava-se da arbitragem e a torcida pressionava; o Real Madrid tinha dificuldades em acertar os passes e criar as jogadas de gol. Sem Mourinho na área técnica, o time blanco perdia uma grande referência para lidar com a partida. O Sporting apenas jogava no grito.

No segundo tempo, após ouvir as palavras de Mourinho no vestiário, o Real Madrid melhorou ofensivamente, mas não encontrou o caminho do gol. Aos 64min, ‘Mou’ colocou Benzema em campo no lugar de Di María para avançar o time. Aos 68min, veio a melhor chance até então, com Higuaín. O argentino entrou livre na entrada da área e só não marcou por que o goleiro da casa fez grande defesa. Era a hora do gol.

Benzema teve grande participação. Aos 81min, Ramos cruzou na cabeça do francês. O atacante cabeceou e o goleiro deu rebote. Higuaín, no lugar certo, empurrou para as redes e abriu o placar. No minuto seguinte, Casillas fez milagre e salvou o Real Madrid. Na frente do placar, Mourinho tirou Higuaín e colocou Lass para segurar o resultado; Aos 89min, colocou Arbeloa no lugar de Özil. Foi o suficiente para vencer.

Vídeo com o gol salvador de Higuaín.

O Real Madrid tem o meio de semana livre e volta a campo no dia 20 para receber o Athletic Bilbao no Bernabéu pela La Liga.

Popular Posts

Junte-se a nós!

Publicidade

Newsletter

+ Real Madrid:

Nome: Real Madrid Club de Fútbol.
Apelidos: merengues, blancos...
Fundação: 1902.
Estádio: Santiago Bernabéu.

Próxima Partida:

La Liga (13° Rodada):
Adversário: Valencia.
Dia: 19/11/11 (sábado).
Hora: 19:00 (horário de Brasília).
Estádio: Mestalla.
Jogo anterior: Osasuna (7-1).

Destaque 11/12:

Seja um seguidor:

Arquivo:

Marcadores:

Receba as novidades por e-mail:

Add to Google Reader or Homepage

Título:

Contas Premium

Rede Social: